Desabafo   Escrever não é fácil, pelo contrário.... - Escrever Para Viver

Escrever Para Viver

"Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. (...) Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.Portanto... plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!" - William Shakespeare                

no precipício ~ #
Desabafo 
 
Escrever não é fácil, pelo contrário. Não basta incorporar palavras rebuscadas e misturá-las com uma literatura de segunda mão. Entretanto, quando usamos de um elemento primordial — a sinceridade — Escrever se torna um prazer. Devemos ser verdadeiros com os nossos sentimentos, não nos deixando influenciar demais pelo nosso meio. Desenvolver algo com base no que acreditamos, e não no que os outros acreditam é a chave. 
Sim, vamos dar a mãos e fugir do caos da realidade. Não quero argumentar sobre nada, não sou intelectual o bastante, não consigo enfiar-me nos livros, assim como faço tão bem em meus sonhos. Vamos exorcizar os números e as malditas gramáticas! Sou eu que faço o meu mundo, o que quero com a teoria da relatividade? Cansei de ser coesa, quero escrever para mim, sem se preocupar se vão entender ou não. Quero falar besteira, posso? É isto que estou sentindo agora, uma irresistível vontade de bancar a maluca. 
Isso tudo está confuso, talvez tenha sido porque de madrugada pareço drogada, mas pelo menos eu fui sincera. Leia se quiser e tente achar algo útil no meio de tudo isto. 
 

— Bia Arantes

Desabafo

 

Escrever não é fácil, pelo contrário. Não basta incorporar palavras rebuscadas e misturá-las com uma literatura de segunda mão. Entretanto, quando usamos de um elemento primordial — a sinceridade — Escrever se torna um prazer. Devemos ser verdadeiros com os nossos sentimentos, não nos deixando influenciar demais pelo nosso meio. Desenvolver algo com base no que acreditamos, e não no que os outros acreditam é a chave.

Sim, vamos dar a mãos e fugir do caos da realidade. Não quero argumentar sobre nada, não sou intelectual o bastante, não consigo enfiar-me nos livros, assim como faço tão bem em meus sonhos. Vamos exorcizar os números e as malditas gramáticas! Sou eu que faço o meu mundo, o que quero com a teoria da relatividade? Cansei de ser coesa, quero escrever para mim, sem se preocupar se vão entender ou não. Quero falar besteira, posso? É isto que estou sentindo agora, uma irresistível vontade de bancar a maluca.

Isso tudo está confuso, talvez tenha sido porque de madrugada pareço drogada, mas pelo menos eu fui sincera. Leia se quiser e tente achar algo útil no meio de tudo isto.

 

— Bia Arantes


theme modificado/adaptado por querida solidão; baseado no theme da e-n-s-e-j-o-s e xantheose